AQUI TEM DIVERSÃO

Amanhã Eu Vou na Mostra de Teatro On-Line APTI

Amanhã Eu Vou | Foto: Priscila Prade

Mulheres da ficção e da vida real são retratadas nas peças Amanhã Eu Vou e A Língua em Pedaços na Mostra de Teatro On-Line APTI dias 17 e 18 de julho

A vida de Santa Teresa d’Ávila (1515-1582) interpretada por Ana Cecília Costa no espetáculo A Língua em Pedaços, e a relação entre duas mulheres sobreviventes de um planeta corroído pela peste e pelas queimadas, vividas em cena por Lilan Blanc e Tuna Dwek, no espetáculo Amanhã Eu Vou, estão na 1ª Mostra de Teatro On-Line APTI nos dias 17 e 18 de julho. As montagens ficarão disponíveis on demand, ou seja, ao adquirir o ingresso, o espectador pode de acessar a exibição a qualquer momento.

Montada em 2015, a peça de Ana Cecília Costa, com direção de Elias Andreato, é uma adaptação do premiado texto A Língua em Pedaços do espanhol Juan Mayorga. A trama mostra um fictício embate entre a monja carmelita e o Inquisidor (Joca Andreazza), que a acusa de subversão e heresia. Além de mística e poeta, Teresa d’Ávila foi uma mulher de ação, fundando dezessete conventos de Carmelitas Descalças em toda Espanha. Santa Teresa é patrona dos escritores de língua espanhola e considerada um dos maiores patrimônios culturais da Espanha. Sua autobiografia O Livro da Vida é o clássico literário mais lido neste país depois de D. Quixote, de Cervantes.

Escrita por Clóvys Torres especialmente para as atrizes Lilan Blanc e Tuna Dwek que são dirigidas por Cristina Cavalcanti no espetáculo Amanhã Eu Vou, a montagem apresenta duas mulheres, únicas sobreviventes de um planeta totalmente corroído pela peste e pelas queimadas. Elas dependem uma da outra para continuarem a viver, mesmo sendo de temperamentos opostos: uma sonha e idealiza um futuro, enquanto a outra nem dorme e deseja sair daquele lugar inóspito; elas conversam sobre a vida, ou a falta de vida. Um jogo de memória que lhes garante a sobrevivência até o dia seguinte e assim vão, sucessivamente num delicioso jogo teatral entre delírios e realidade.

A 1ª Mostra de Teatro On-Line APTI é uma iniciativa da APTI-Associação de Produtores Teatrais Independentes para arrecadar dinheiro para o Fundo Marlene Colé, que vem apoiando os profissionais das artes cênicas. Desde o dia 15 de maio, a mostra apresenta espetáculos com toda bilheteria revertida para a campanha que irá auxiliar as mais de 30 mil famílias de profissionais da cultura, do Estado de São Paulo, afetados pela pandemia. A campanha termina no dia 1º de agosto, com uma sessão especial de Alma Despejada, com Irene Ravache.

Serviço:

1ª Mostra de Teatro On-Line APTI
Dias 17 e 18 de julho – On demand

A Língua em Pedaços

Texto: Juan Mayorga. Direção: Elias Andreato.
Com Ana Cecília Costa e Joca Andreazza.

Amanhã Eu Vou

Texto: Clovys Torres. Direção: Cristina Cavalcanti.
Com Lilan Blanc e Tuna Dwek

Ingressos: R$25, R$50 e R$100 (o cliente escolhe quanto quer pagar)
Vendas: www.apti.org.br/mostra-de-teatro

Informações: www.apti.org.br
Instagram: @apti_sp

Sobre Marlene Colé

A carreira de Marlene Colé nas artes começou cedo. Ainda jovem integrou o Grupo de danças folclóricas de Solano Trindade, fundado nos anos 70 em Embú das Artes, e mais adiante se tornou cantora da noite, tendo participado do show da inauguração do Teatro Nacional em Brasília.

De origem humilde, com o passar dos anos, para se sustentar começou sua carreira como camareira e nessa atividade trabalhou para uma legião de atores, atrizes e produções teatrais pelo Brasil a fora.

Quando morreu, em 2016, fazia parte da equipe de camareiras do Teatro Municipal de São Paulo, além de trabalhar em outras produções.

Marlene Colé não tinha parentes. E quando faleceu tinha alguns recursos em sua conta bancária, fruto de suas economias. Um grupo de amigos solidários de Marlene, entre artistas e técnicos que conviveram com ela, resolveu criar, com esses recursos o FUNDO MARLENE COLÉ, para apoiar artistas e técnicos que estivessem passando por necessidades, honrando assim o nome de Marlene que sempre foi muito preocupada em ajudar o próximo.

Atualmente A gestão do Fundo Marlene Colé está a cargo da APTI-Associação de Produtores Teatrais Independentes, com sede na Capital Paulista e conta com as instituições SATED-SP (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversões do Estado de São Paulo), Cooperativa Paulista de Teatro e Coletivos de Circo, a parceria com a APTR (Associação de Produtores Teatrais) e o apoio do Artigo 5º, Sympla, Lista Fortes Brasil e Unibes.

ACESSE E DIVULGUE NOSSA PÁGINA DE FINANCIAMENTO COLETIVO DA REVISTA E SITE AQUI TEM DIVERSÃO 
BOTÃO DE APOIO 

Sair da versão mobile