Obra Ainda estavam lá produzida com recursos do Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura será lançada no dia 25

Com quantos dinossauros se faz um microconto? O questionamento abre o prefácio assinado pela escritora Adrienne Myrtes para o livro “Ainda estavam lá”, de autoria de Marcio Markendorf, André Ricardo Aguiar e Adriano Salvi. A obra será lançada na terça-feira, 25 de maio, às 16 horas, por meio perfil @microliteratura, no Instagram.

A pergunta de Adrienne não é gratuita. Trata-se de uma alusão ao famoso microconto do guatemalteco Augusto Monterosso: “Quando acordou, o dinossauro ainda estava lá”. Como homenagem intertextual, não apenas o projeto gráfico do livro, mas os autores brincam o tempo todo com a figura do dinossauro em microcontos ou nas minibiografias. Não é sem razão, portanto, que os jovens autores se definam como: “micronarradores por opção, jurássicos pelo amor à literatura”.

Premiada no Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e realizada com recursos do Governo do Estado de Santa Catarina, a obra traz 33 microcontos de cada autor. Noventa e nove no total.

Para além das referências ao dinossauro, o projeto ficcional apresenta aspectos colaborativos em suas páginas ao convidar o leitor a escrever o centésimo microconto e uma microcrítica no próprio livro. Aliás, a quarta capa do livro sugere a continuidade desse jogo lúdico e criativo com o letreiro: “Alimente o dinossauro”.

“Ainda estavam lá” vale-se da linguagem cotidiana das redes sociais para despertar no leitor outros prazeres estéticos instantâneos, estimular questionamentos sobre arte e cotidiano e promover a leitura em outros formatos. Marcio Markendorf, coordenador do projeto, aludindo à velocidade de recepção dessa literatura portátil, faz um novo jogo jurássico para descrever sua obra: “Os microcontos desse livro são de fóssil leitura”.

Este é o segundo projeto de microcontos assinado por ele (Marcio) e Adriano Salvi. Antes, a dupla publicou pela Caiaponte Edições o “Microcontando”, em 2019. O título foi financiado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura (LIC) de Balneário Camboriú. Segundo os autores, o fato de projetos de microliteratura terem sido premiados em editais de cultura sinaliza que o gênero, cada vez mais praticado e desenvolvido no estado, começa a ganhar visibilidade.

Não é comum na literatura coletâneas com apenas três escritrores, o que torna especialmente rara a reunião de uma trinca de microcontistas, característica que confere ainda mais singularidade e originalidade ao projeto. Como flashes da realidade, os microcontos de “Ainda estavam lá” capturam o cotidiano em flagrante, escolhendo lentes de ironia, simpatia, espanto, afeto. No microconto “Fotografia”, por exemplo, Adriano Salvi escreve: “O tempo parou para eu passar”. A leitura desses pequenos textos, mesmo breve, deixa um impacto. E desperta apetite por mais.

Durante o período de lançamento os autores oferecerão oficinas de microliteratura. A programação completa pode ser acompanhada pelo perfil @microliteratura, no Instagram, ou no canal do Youtube: www.youtube.com/channel/UCtSERBZMq00vnjMQcLzmTUw.

Ainda estavam lá
Capa do livro Ainda estavam lá | Foto: Divulgação

SOBRE OS AUTORES

Marcio Markendorf – Atua como professor do Curso de Cinema e do Programa de Pós-graduação em Literatura da Universidade Federal de Santa Catarina, com ênfase no ensino de Literatura e Escrita Criativa. É autor da novela Soy loca, Lorca, feito um chien no chão (Urutau, 2019). Em parceria com Adriano Salvi, publicou o livro de mininarrativas Microcontando (Caiaponte Edições, 2019) por meio da lei de incentivo à cultura da Fundação Cultural de Balneário Camboriú. Publicou contos em coletâneas e periódicos, participou em exposições de arte e mantém o perfil @microliteratura no Instagram dedicado às formas brevíssimas.

Adriano Salvi – Atua como professor efetivo na rede estadual de Santa Catarina na área de linguagens e mediação de leitura. Publicou os livros Pá Pum Microcontos (Viseu, 2019), O Parangolé da Palavra (Mercúrio, 2019) e pela Lei de Incentivo a Cultura de Balneário Camboriú em parceria com o escritor Marcio Markendorf o livro Microcontando (Caiaponte Edições, 2019). Mantém um projeto de microcontos ilustrados no Instagram: @microcontando.

André Ricardo Aguiar – Atua como jornalista, revisor e divulgador cultural. É autor de diversos livros, entre eles os infantis O rato que roeu o rei (Rocco), Pequenas reinações (Escrituras) e Chá de sumiço e outros poemas assombrados (Autêntica, selecionado para o PNBE, Pinaic e Feira internacional de Bolonha, Itália). Publicou pela editora Patuá A idade das chuvas (poemas) e Fábulas portáteis. Pela Confraria do vento, Da existência enquanto gato (poemas).

SERVIÇO

O que: Lançamento do livro “Ainda estavam lá”;
Onde: On-line por meio do perfil do Instagram @microliteratura;
Quando: 25 de maio, às 16h;
Como: Bate-papo com os autores, sorteio de exemplares de livros ao vivo e a venda de quantidade limitada do livro “Ainda estavam lá” por 10% do valor de capa. Preço promocional de R$2,50 (+custos de envio). Não é necessário inscrição antecipada;
Quanto: A participação no lançamento é gratuita. O preço de capa do livro é R$25,00 (+custos de envio);
Outras informações: (48) 99141-2204, com Marcio Markendorf, coordenador do projeto.

CLIQUE ABAIXO E ACESSE + CONTEÚDOS SOBRE 👇
  #MÚSICA   #TEATRO&DANÇA   #GASTRONOMIANODF   #RECEITAS  
#ARTESVISUAIS   #FILMES   #SÉRIES   #TVABERTA&ASSINADA
 #LITERATURA   #TURISMO   #EVENTOS

SIGA E CURTA AS NOSSAS REDES SOCIAIS
  FACEBOOK/DIVERSAOAQUITEM   INSTAGRAM/DIVERSAOAQUITEM
TWITTER/DIVERSAOAQUITEM

Anterior Uma História para Elise, espetáculo em ambiente virtual
Próximo Insensatez com estreia online e gratuita no dia 26 de maio