Lançamento do livro Águas d’ilê, que reúne 18 contistas de diversas cidades brasileiras, será realizado em live no dia 15 de janeiro

Em meio a uma pandemia mundial, sem precedentes, nasce a antologia literária “Águas d’ilê”, inspirada na força feminina e matriarcal negra representada por Oxum. A obra, organizada pela escritora e atriz Cristiane Sobral e pelo artista visual Ricardo Caldeira, reúne narrativas de 18 contistas, com formações diversas e de várias cidades brasileiras, inclusive do Distrito Federal.

O lançamento do livro, do selo editorial Aldeia de Palavras, será no dia 15 de janeiro, em uma live transmitida pelo canal no YouTube www.youtube.com/cristianesobral

A coletânea está dividida em três capítulos. Em cada escrito, transbordam achados interiores, ancestrais que procuram estratégias de bem viver além do cristianismo, do patriarcado e do capitalismo. Os autores discursam sobre afeto, matriarcado, racismo e oralidades no espaço social comum, em sua maior parte a partir de uma perspectiva ancestral africana e indígena.

Com o tema central “Águas d’ilê”, o livro é um convite para que as pessoas mergulhem em histórias e vivências, conforme realça a escritora, organizadora da antologia, Cristiane Sobral “A água abundante na esfera planetária é fonte de vida e de expressão. Como trama essencial aqui ostentamos as águas de ler, com uma pluralidade de vozes necessárias que transcendem silêncios seculares com dignidade, reafirmando equidade para existências vilipendiadas, dignas das primazias terráqueas”.

A capa do livro é de Nelson Inocêncio, artista visual e professor do Departamento de Artes Visuais da Universidade de Brasília e membro do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros da UnB. O prefácio é de Luana Reis, doutoranda em Literatura na Universidade de Pittsburgh, EUA, ambos pesquisadores em expressões culturais de matrizes africanas em diáspora. Entre as escritoras, as moradoras do DF: Cristiane Sobral, Gabriela Furtado, Miriam Bispo, Letícia Érica Ribeiro e também Ricardo Caldeira.

Essa obra é resultado de um curso on-line de formação literária que aconteceu durante a quarentena, conduzido pela escritora e atriz Cristiane Sobral. Paralelamente, os participantes tiveram oficina de apresentação profissional e produção gráfica para escritores, conduzida pelo co-criador e diretor de arte do projeto, Ricardo Caldeira. A produção cultural é de Alyne Lima.

Os integrantes da equipe buscam por meio da linguagem poética provocar a sociedade sobre temas sociais, com destaque a luta contra racismo e valorização das pessoas negras. A arte, neste sentido, se torna também instrumento político e de transformação social.

Os escritos da antologia são dos autores: Alyne Lima (Brasília- DF), Cax Nofre (São Paulo – SP), Cristiane Sobral (Brasília – DF), Denise da Costa (Fortaleza – CE), Gabriela Furtado (Brasília – DF), Joseane Cantanhede (São Luís – MA), Kátia Rocha (Salvador – BA), Letícia Érica Ribeiro (Brasília – DF), Mirian Bispo (Sobradinho – DF), Patrícia Aniceto (Santos Dumont – MG), Ricardo Caldeira (São Sebastiao – DF), Sarah Muricy (Campo Grande – MS), Sheila Martins (Rio de Janeiro- RJ), Silvia Carvalho (Rio das Ostras – RJ), Tânia Cerqueira ( Salvador – BA), Thalles do Nascimento Castro (Juiz de Fora – MG), Toni Edson (Aracaju – SE) e Viviane Martins (Campos – RJ).

Obra inaugura selo editorial Aldeia de Palavras

A antologia Águas d’ilê inaugura o selo editorial Aldeia de Palavras, de Cristiane Sobral. Um dos objetivos dessa iniciativa é a inserção de novos escritores e escritoras no mercado das letras. Esse é um movimento simbólico produzido no ano em que Cristiane Sobral comemora os 20 anos da primeira publicação nos Cadernos Negros 23, organizado pelo grupo Quilombhoje Literatura (SP). Na época, estreou com o poema “Não vou mais lavar os pratos”.

“A força motriz do projeto nasceu da necessidade de romper silêncios históricos considerando os caminhos estéticos das escrituras e o compartilhamento de experiências no mercado editorial ainda tão restrito para a população negra e periférica, especialmente para mulheres negras”, ressalta Cristiane Sobral.

PRODUÇÃO

Cristiane Sobral

A escritora Cristiane Sobral é carioca e vive em Brasília. Ela é mestre em Teatro pela Universidade de Brasília (UnB), atriz, escritora, dramaturga e professora de teatro da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF). Além disso, pesquisa sobre a estética no teatro negro. Há 20 anos dirige a Companhia de Arte Negra Cabeça Feita.

Em 2017, ganhou o prêmio FAC – Culturas Afro-Brasileiras. Entre as obras publicadas pela autora, estão livros de prosa e poesia, como Terra Negra (2017), Não vou mais lavar os pratos (2010) e Só por hoje vou deixar meu cabelo em paz (2014). É escritora imortal da Academia de Letras do Brasil – seção Distrito Federal (ALB), atual titular da cadeira nº 34

Ricardo Caldeira

Por meio da sinergia entre desenho, dança e literatura, Ricardo Caldeira aborda a dramaturgia da expressão corporal negra e sexualmente diversa. Nasceu em Brasília em 1988, cresceu, vive e atua em São Sebastião, cidade/vila/vale do interior do DF. Desde 2010 participa de atividades voltadas à valorização artístico-cultural periférica por meio da coprodução de eventos, apresentação artística e formação educativa.

Em 2020 publicou o primeiro livro, Vendaval, um catálogo gráfico biográfico e ensaístico. É protagonista do 5º episódio da série Favela Gay – Periferias LGBTQIA+, atualmente disponível na Globosat Play.

Alyne Lima

Escritora, designer gráfico e produtora com atuação artístico-cultural-sócio-político. Tem poemas publicados nos livros: Além da Terra, Além do Céu – Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea – Vol II e Antologia Aldeia de Palavras em São Tomé e Príncipe. Co-fundadora de projetos voltados à difusão artística na periferia, entre eles: Coletivo Alfa Centauro, Sarau Encontro de Verso, Dente de Leão, Programa TV WEB Foco de Cultura e BB Zine nos quais atua como produtora cultural e executiva. Faz parte de diferentes iniciativas como designer na criação de publicações digitais e impressão gráfica como Jornal IDentidade, HIP HOP contra a fome, RAPensando nas escolas e Feira Coisa de Preto. Nas Oficinas de Escrita Criativa com Cristiane Sobral atua como produtora e hostess, sendo parte da produção dessa Antologia.

ESCRITORAS

Mirian Bispo

Filha de Orunmilá, Orixá do conhecimento, o anjo da guarda, aquele que a guia, conduz e traz a inspiração necessária para cada linha escreve, nas quais apresenta a trajetória na religião, a identidade, a adoração. Sente-se honrada de poder falar dessa herança que a foi dada pelos meus antepassados.

Gaúcha, vive em Brasília. Participa de corais e saraus na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. Pedagoga, escritora, colunista no blog Fala, Preta, onde publicou os primeiros textos, crônicas. Estudante da cultura Yorùbá, tem buscado conhecimento com participação em eventos, oficinas e seminários. A obra é a relação entre a realidade e ficção.

Letícia Érica Ribeiro

Escreve porque acredita que a escrita é uma forma de se colocar no mundo e de transmitir as vozes, os afetos e os sentires das mulheres que permearam e permeiam a sua história. Militante do Movimento Feminista, trabalha com o enfrentamento à violência de gênero, com mulheres em condições de vulnerabilidade e em privação de liberdade, por meio da organização de encontros, rodas de histórias de vida e de poesias.

Goiana, professora do Instituto Federal de Brasília desde 2013, é formada em Letras pela Universidade Federal de Goiás, master em Literatura Comparada pela Universidade Sorbonne Nouvelle/França, mestre em Educação pela Universidade de Brasília e doutoranda em Estudos interdisciplinares de Gênero na Universidade de Salamanca/Espanha.

Serviço:

Lançamento virtual do livro Águas d’ilê
Data: 15 de janeiro às 19h
Canal: www.youtube.com/cristianesobral
Valor do livro: R$ 40 – pedido de compras pelo crisobral2@gmail.com ou pelo whatsapp (61) 9 9153-1883 ou (61) 9 9294-5511 (Alyne Lima)

Ficha técnica do livro:

Editora, organizadora, gestora revisora e facilitadora da formação em escrita criativa – Cristiane Sobral
Cocriador, diretor de arte e facilitador da formação em produção gráfica e currículo – Ricardo Caldeira
Desenhos – Nelson Inocêncio
Designer assistente – Weslley Souza
Ficha catalográfica – Bibliotecária Buruku (Nathany Brito Rodrigues)
Correvisora – Kátia Rocha
Assessora de imprensa – Larissa Mantovan
Produtora – Alyne Lima
Assistentes de produção – Micael Amorim e Sarah Benedita

Anterior Alex toca o melhor do jazz e blues no Le Parisien
Próximo Tom Cruise na primeira semana de janeiro no FOX Life