Academia de dança brasiliense se destaca por adotar aulas inclusivas para alunos com deficiência. O foco da escola é estimular ambientes receptivos para que todos sintam que podem usufruir dos benefícios da arte e da dança

Há cerca de um ano a academia de dança Bailacci, com unidades no Lago Norte e Asa Sul, resolveu investir em uma nova experiência que deu mais do que certo. A escola abriu uma turma de dança inclusiva, para alunos com diversos tipos de deficiência. O projeto foi tão bem-sucedido que as inscrições para novos alunos já estão abertas para o primeiro semestre de 2020.

São deficientes visuais, cadeirantes, alunos com Sindrome de Down, aspecto autista e outras deficiências, de diversas idades. Há um ano eles se encontram com hora marcada na academia de dança para as aulas, de forma que eles também vivenciem todos os benefícios que a dança pode trazer.

Uma das sócias da escola Nayane Dias, conta que o foco é fazer com que os alunos se sintam bem, com mais energia e saiam de lá melhor do que entraram. “As aulas funcionam como qualquer outra, o professor, com a ajuda da monitora, faz movimentos coreografados e os alunos tentam ‘imitá-lo’ “, comenta. Os movimentos praticados são mais livres, o que não quer dizer que não haja técnicas de dança.

Em 2019 os alunos se apresentaram em um espetáculo que foi sucesso absoluto entre toda a plateia. “É muito legal ver a alegria que eles têm em dançar. Dá para perceber que eles amam, ficam empolgados e se tornaram muito amigos”, comenta Nayane. “É muito bacana ver o apoio mútuo de todos eles também. Os pais se conhecem e constantemente viajam juntos. Eles ficaram muito unidos”, completa.

Para a também sócia e professora de ballet Camila Amanteá, os alunos são uma inspiração para todos os outros. “Tem gente que não quer dançar porque acha que não é alongado suficiente, que não é magro o suficiente, que não tem idade. As danças livres (inclusivas), deixam ainda mais claro que dança é para todo mundo, não tem desculpas”, argumenta.

Academia com foco na inclusão e bem-estar

A escola existe desde 2009. Já teve outros endereços e outros nomes. Primeiro “O Castelo das Artes”, depois “Amanteá Centro de Música e Dança” e se consolidou como Bailacci Academia de Danças em 2017. Mas desde o começo um mesmo objetivo sempre esteve claro no projeto: a dança como vivência e bem-estar.

“Nosso compromisso é oferecer um ambiente onde cada aluno possa aprender a expressar o melhor de si através do entusiasmo, do prazer e amor à arte, e nunca através da rigidez excessiva e do medo”, explica Camila Amanteá. “Nossa escola cresceu sendo reconhecida como um lugar onde todos se sentem bem, acolhidos e respeitados. É um espaço onde todos podem e devem se sentir à vontade para ser e estar”, finaliza.

Além das aulas inclusivas, a academia também oferece turmas para a terceira idade. São três modalidades diferentes de dança para esse público específico. “Não têm muitas academias fazendo isso por aí. Estimulamos um ambiente sem bullying, sem competição, sem julgamentos. Acreditamos ser essencial convivermos em um espaço onde todos se respeitam e se sentem bem”, acrescenta Nayane.

Serviço

Bailacci Academia de Dança

Lago Norte:
CA 3 Lote 28
(61) 9.9995-4858 / 3468-4858

Asa Sul:
508 Sul, bloco B
(61) 9.9969-4858

Anterior Ana Preta lança videoclipe de “Não Me Leve A Mal”
Próximo CÃES DE ALUGUEL EM DOIS SHOWS NO CARNAVAL