Espetáculo infantil online aborda causas políticas e ambientais. “A Lagarta e o Camaleão” estreia nesta sexta-feira, 22 de outubro

Nesta sexta, 22 de outubro, estreia o espetáculo infantil online “A Lagarta e o Camaleão”, que busca trazer às crianças uma reflexão sobre problemas sociais e ambientais. O espetáculo é resultado do encontro dos grupos Coletivo Delas, Coletivo Acuenda e Cia de Arte Teatro Interrompido. “A Lagarta e o Camaleão” foi criado a partir da vontade dos integrantes de oferecer ao público infantil uma história de superação pessoal e respeito às diferenças e ao meio ambiente.

“A infância deveria ser permeada por valores e princípios como a inclusão, a empatia e a solidariedade. Ao trabalhar estes temas com o público infantil, o nosso objetivo é formar cidadãos mais conscientes sobre os problemas sociais e ambientais e menos preconceituosos em relação às diferenças”, afirma o diretor e dramaturgo Juão Nyn.

As personagens de “A Lagarta e o Camaleão” são alegorias para causas políticas e ambientais. O camaleão é um animal silvestre que chegou ao território latinoamericano através do tráfico ilegal de animais exóticos. Já a lagarta é um inseto muito presente na natureza, tendo grande importância no processo de adubação do solo e na proteção da flora, antes da sua metamorfose em uma borboleta ou mariposa. O ponto de partida para a criação do espetáculo baseia-se em questionamentos sobre a existência destes seres vivos. Como se adapta e sobrevive um animal em um ambiente diferente do seu habitat natural? Como o processo da metamorfose pode ser abordado no contexto das mudanças pessoais? E, por fim, como a existência e as ações dos seres vivos impactam o ambiente em que estão inseridos?

O espetáculo infantil foi pensado como uma adaptação dos complexos temas sociais abordados em “Periferida”, peça do mesmo grupo criador de “A Lagarta e o Camaleão”. Os coletivos responsáveis pela criação têm forte ligação às temáticas periféricas e transvestigeneres e enxergaram no formato infantil uma possibilidade de transformação social conduzida pelas crianças, que poderão se tornar adultos dispostos a não repetir os pensamentos e ações nocivas ou preconceituosas de ontem e hoje.

“A Lagarta e o Camaleão” transforma a sala virtual onde é exibida em uma espécie de casulo, de onde todos podemos sair transformados, em um belíssimo voo como o das borboletas.

Este projeto foi contemplado no Programa para a Valorização de Iniciativas Culturais (VAI) – modalidade II (2020), da Secretaria Municipal de Cultura.

SINOPSE

“A Lagarta e o Camaleão” é uma fábula sobre superação a partir de um encontro inesperado. Um camaleão que só consegue se camuflar com a cor verde foge de um predador e se esconde no alto de uma bromélia. Após se salvar, o camaleão que não consegue se camuflar completamente tem seu disfarce interrompido por uma fina e sonolenta voz vinda de dentro de um pequeno casulo. Curioso, o camaleão se pergunta: minhoca faz casulo?!

TEMPORADA ONLINE – 22 a 31 de outubro
De sexta à domingo às 10h e às 16h.

22/10 – YouTube | Coletivo Estopô Balaio – 10h e 16h.
https://www.youtube.com/c/EstoP%C3%94Balaio

23/10 – Facebook | Instituto Pombas Urbanas – 10h e 16h.
https://m.facebook.com/instituto.urbanas/?tsid=0.02149428038863399&source=result

24/10 – Facebook | Movimento Cultural Ermelino Matarazzo | 10h e 16h.
https://www.facebook.com/movimentoculturalermelinomatarazzo/

29/10 – Facebook | Centro Cultural Penha | 10h e 16h.
https://www.facebook.com/ccpenha/

30/10 – Facebook | E.E José Bonifácio Andrada e Silva Jardim| 10h e 16h.
https://www.facebook.com/bonifacio.jose.39948

31/10 – Facebook | E.E Vicente Laporace – 10h e 16h.
https://www.facebook.com/VicenteLeporaceOficial/

Classificação indicativa – LIVRE

Histórico dos grupos que realizam a peça

O COLETIVO DELA foi formado em 2018 após Agatha e Alicia dos Anjos terem se conhecido dentro do projeto de remontagem da peça PERIFERIDA, do Coletivo Acuenda, ambas como atrizes convidadas. Decidiram se juntar e formar um grupo para pesquisar e promover trabalhos culturais com corpos transvestigeneres dentro das periferias que moram e/ou fazem seus trabalhos artísticos.

O COLETIVO ACUENDA é formado por artistas moradores do extremo da zona leste paulistana e nasceu em junho de 2014, a partir da realização da ação cultural Cabaret D’água, um evento de drags que acontece na periferia de São Paulo. O Cabaret D’Água é um fruto de inquietações, uma resposta poética e glitterizada diante ao preconceito e todas as questões que envolvem a existência de jovens LGBTs moradores da periferia. O primeiro espetáculo do coletivo Intitulado “PERIFERIDA”, teve estreia em 2017 e em 2018 realizou a segunda temporada. Em 2021, estreou o mais recente trabalho “BRILHO E BATOM”, de forma online.

O TEATRO INTERROMPIDO CIA. DE ARTE surgiu em 2012 e é formado pelos artistas Carol Piñeiro*, Juão Nyn*, Davi Matias* e Gleidstone Melo*. A Cia. composta por artistas migrantes (SP-RN-AM) e artistas convidados a cada trabalho, realiza uma pesquisa em cima de artes híbridas, ancestralidade e possui no histórico intervenções urbanas, espetáculos, oficinas de formação cultural, cortejos, shows e performances. Os principais espetáculos da trajetória do grupo são “Não Pise na Dama” (2012 – com apresentações no Brasil e 2015 em Bogotá – CO); Performance “America Latina” (2015); os espetáculos de Dança Teatro “Sagração da Primavera” (2016) e “Arte Precisa Ser” (2015).

FICHA TÉCNICA – A Lagarta & o Camaleão

Direção e Dramaturgia: Juão Nyn
Elenco: Alicia dos Anjos, Bruno Fuziwara, Carol Piñeiro, Felipe Barbosa, Gleidstone Melo, Maria Gabriela Almeida
Preparação Corporal: Carol Piñeiro
Preparação Vogue: Maria Gabriela Almeida
Câmera e captação de vídeo: Cassandra Mello
Iluminação: Dara Duarte
Bonecos: Mauro Carvalho
Figurinos: Aline Deyse
Beleza: Anike Carvalho e Aline Deyse
Montagem e Edição de Vídeo: Aristeu Araújo
Transmissão de Vídeo: Lucas Conte
Intérprete em Libras: Bianca Vyunas
Ilustrações: Auá Mendes
Designer Gráfico: Charles Nathan
Trilha Sonora: Emerson Martins e Juão Nyn
Canções: Juão Nyn
Participações Especiais:
CANÇÃO DO CAMALEÃO: Potyguara Bardo
CANTADA DA LAGARTA: Uma Luiza Pessoa
ERA UMA VOGUE: Juão Nyn
Logística: Trem das Onze Transportes
Catering: Cozinha Fermenta e Delicatte’s Bistrô Gourmet
Enfermeira: Jéssica Oliveira do Nascimento
Produção: Wemerson Nunes | WN Produções
Assistente de produção: Alicia dos Anjos
Produção executiva: Gleidstone Melo
Assessoria de Imprensa: Thaís Peixoto e Davi Andres – ComunArte
Realização: Coletivo Acuenda, Coletivo Dela e Teatro Interrompido

💬
ACESSE E DIVULGUE NOSSA PÁGINA DE APOIO DA REVISTA E SITE AQUI TEM DIVERSÃO 👇

💬OU APOIE COM QUALQUER VALOR!

 

Anterior 5G, WiFi 6 e outros temas são destaque em evento para ISPs
Próximo Como as mulheres que gostam de vinhos podem aprender a degustar on-line