Um passeio científico pelo mundo imaginário das obras de Chico Nascimento. 🎨 Pintor que usa diferentes técnicas para criar paisagens e seres oníricos será tema de exposição virtual A Casa Aberta na BDB Cultural. Abertura no dia 25, sexta, às 19h

É uma árvore ou é um fungo? É uma montanha ou é um poro? As obras de Chico Nascimento não estão para responder, mas para criar o máximo de dúvidas possível. Elas brincam com nosso repertório visual: remetem a mapas, a exames de imagem, a fotogramas lunares, mas o que há de científico nelas é só a semelhança com algo de orgânico, mas tudo ali é criado, extraído de um mundo que o próprio artista define como devaneio. Essa expedição pelo imaginário poderá ser feita na nova exposição da BDB Cultural, A casa aberta, que reúne 16 obras da produção mais recente deste artista plástico. A mostra virtual das imagens, acompanhadas de uma entrevista com o artista, estreia nas redes sociais da iniciativa no dia 25, sexta-feira, às 19h.

“Sempre me interessei pela biologia, pela botânica, e na universidade pude ver as organelas microscópicas das orquídeas. Percebi que ao copiar os desenhos científicos minha imaginação sugeria a aparência de seres quiméricos. A ciência serviu como estímulo para a criação de uma nova realidade. Fui encontrando nas flores, nas sementes as estruturas básicas que meu espírito transformava em coisas da imaginação. As tecnologias como o microscópio e o telescópio revelam mundos micro e macro, lugares que antes eram só sondados pela imaginação. E eu me interesso por imaginar a partir deles”, diz.

A exposição é alinhavada por um poema de sua autoria que tem o mesmo título da mostra, A casa aberta. O texto poético, como é de se imaginar, não tem o objetivo de explicar a mostra, como fazem os textos de abertura, mas revela construções delicadas, como neste trecho: “Aceito viver no espaço poético destes seres que têm a forma dos seus ninhos, simples e repousantes como o útero de mãe. Se são nocivos? Não sei.” Essa relação com um mundo microbiano parece mais contemporânea que nunca em um momento que ainda vivemos em uma pandemia global causada por um vírus.

“A ciência chega primeiro em uma realidade, depois eles têm que criar códigos para comunicar aquela realidade, uma tradução do que eles estão vendo. Como explicar que uma bolinha, que não é viva, mas não é morta, repleta de proteínas, está ameaçando nossa vida em uma esfera invisível? A ciência muda o nosso olhar sobre o mundo, nossa percepção sobre quem somos. Ao mesmo tempo, você tem na arte uma possibilidade de um campo que é um bálsamo, mas que é um grito também. Um lugar social, político, em que interessam menos as dinâmicas da verdade e mais a das sensações que o mundo nos causa”, diz ele.

A série de 16 obras selecionadas para a BDB Cultural é feita de tinta acrílica, lápis aquarelado, colagem sobre papel e muita imaginação. Desde os últimos sete anos, as obras de Chico Nascimento partem de um processo mais aleatório, menos dependentes do microuniverso. Ele usa papéis de alta gramatura e tintas aquarela para elaborar manchas e essas manchas, como em um teste de Rorschach, serão a base para os seres imaginários que se sobreporão.

Sobre a BDB Cultural

A BDB Cultural é uma iniciativa do governo federal, por meio da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, em parceria com a Biblioteca Demonstrativa do Brasil Maria da Conceição Moreira Salles (BDB) e, por meio de um termo de colaboração, com a organização social Voar Arte para a Infância e Juventude. A agenda que o projeto executará na BDB segue até março de 2022.

“Com a BDB Cultural, vamos renovar a prática de ser uma referência a outras bibliotecas do país para que elas possam abrir suas asas para voos mais altos e dar vida aos seus espaços”, diz o coordenador-geral da BDB Cultural, Marcos Linhares.

Para saber mais sobre os próximos cursos e eventos oferecidos, acompanhe as novidades da BDB Cultural no Youtube (https://www.youtube.com/c/BDBCultural), no Facebook (https://www.facebook.com/bdbcultural), Instagram (https://www.instagram.com/bdbcultural/) e no site www.bdbcultural.com.br da iniciativa.

Sobre Chico Nascimento

Chico Nascimento é artista plástico, arte-educador, músico e poeta. Formado em artes plásticas na UnB, trabalhou desde então com a série Natura et Artificialis, da qual A casa aberta é depositária. A série de pinturas, colagens e objetos artísticos A casa aberta tem sido produzida desde 2009.

Serviço:

BDB Cultural – Junho de 2021
Estreia da exposição “A Casa Aberta” com obras do artista plástico e poeta Chico Nascimento.
25/06 – Transmissão no Youtube e no Facebook da BDB Cultural, às 19h.

Outras informações:

Site www.bdbcultural.com.br
Facebook.com/bdbcultural
Instagram – @bdbcultural

💬
ACESSE E DIVULGUE NOSSA PÁGINA DE FINANCIAMENTO COLETIVO DA REVISTA E SITE AQUI TEM DIVERSÃO 👇
BOTÃO DE APOIO 👇

Anterior (In) Cômodos – a Mulher da Ponte, 🎭 representará o DF
Próximo Festival de Inverno do Pontão 👨‍🍳 chega à sua 10ª edição