Grupo Psoas e Pssoinhas leva espetáculo “Amana – Dança para Bebês” a várias localidades do DF e a duas cidades brasileiras

O espetáculo “Amana – Dança para Bebês” volta a se apresentar em Brasília, desta vez com um projeto de circulação que vai abranger duas regiões administrativas – Gama e Ceilândia -, além do Plano Piloto e Vila Planalto, incluindo o Centro de Ensino Especial de Deficientes Visuais (CEEDV). Com o patrocínio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura, a primeira apresentação será no dia 17 de março, às 16h, no espaço Cena (205 Norte), como parte da programação do I Encontro Internacional de Práticas Somáticas e Dança. A entrada é franca. Após concluir as atividades na capital federal, será a vez de Pirenópolis e São Paulo receber a temporada.

No palco, Julia Ferrari, Julieta Zarza, Katiane Negrão e Susana Prado, intérpretes criadoras do espetáculo, recorrem à música, aos gestos, sons e movimentos para criarem vínculo com os bebês. Para isso, buscaram referências na Educação Somática e na ancestralidade das mulheres em cena. O toque/afeto é a essência desta proposta e a técnica de Contato Improvisação também norteia o trabalho, que se encerra com um convite à “Baby jam”, uma dança com os bebês e seus acompanhantes.

Amana é uma palavra tupi-guarani que significa água que vem do céu. O espetáculo de dança para e com bebês de zero a três anos, com som ao vivo, traz um pouco de nossa ancestralidade, das gotinhas de nosso mar interno às gotas que somos neste universo de possibilidades.

Acessibilidade

Sendo um espetáculo sensorial direcionado para bebês, sem linguagem verbal, que se expressa pelo corpo e voz, movimento e som, também por meio de instrumentos musicais e elementos naturais como a água, é acessível a todos, já que a linguagem é universal. Mas para atender melhor alguns grupos de necessidades especiais, o projeto “Circulação Amana – Dança para Bebês” vai atender mães, pais ou responsáveis com deficiência auditiva e seus bebês.

Em todas as cidades haverá, em pelo menos uma das apresentações para público espontâneo, uma intérprete de libras que fará o receptivo para os responsáveis pelas crianças. O público será recebido com uma infraestrutura de fraldário, água e estacionamento para carrinhos. Também serão dadas todas as instruções para auxiliar os pais em relação ao comportamento de seus bebês durante o espetáculo (em caso de choro, necessidades fisiológicas, etc.).

Além disso, em Brasília – cidade sede do Grupo Psoas e Pssoinhas – haverá uma apresentação direcionada aos pequenos atendidos pelo Centro de Ensino Especial de Deficientes Visuais (CEEDV). A ação inclui apresentação e uma “Baby jam”, encontro de dança entre os bebês e seus acompanhantes com os princípios da Educação Somática e do Contato Improvisação.

Espetáculo de vivência

A expectativa é receber 25 crianças de zero a três anos, em cada apresentação. Dentro desse público principal está a díade (bebê e mãe ou outro responsável) ou tríade, (bebê e pais, ou outros responsáveis como avós, etc.), totalizando o máximo de 80 pessoas. Portanto, é um espetáculo que é pensado para todas as idades e, ao mesmo tempo, para que a vivência seja plena para o adulto é indispensável a presença dos bebês.

A “Baby jam” será um encontro de improviso em dança entre mães, pais ou qualquer outro responsável e seu bebê, com princípios do contato improvisação e da educação somática. Já as apresentações em creches serão direcionadas a 40 bebês por sessão, envolvendo educadoras, cuidadoras e coordenadoras. Ainda nas creches, serão realizadas uma oficina, contemplando 10 educadoras em cada.

Sobre o Grupo Psoas e Pssoinhas

Psoas e Psoinhas nasce em 2015 de um fértil encontro entre mulheres-artistas interessadas em pensar e agir a arte para a primeira infância. Visa estabelecer um vínculo com bebês, pais, mães e educadoras para acessar um olhar mais sensível do ser. Possui duas montagens, “O Circolo”, participação no Festclown-DF 2016 e recente temporada em Cuatro Elementos Espacio Teatral, Argentina 2018 e “Amana – dança para bebês”, contemplado pelo FAC 2015/2016, Festival Primeiro Olhar/ 2017 – DF e Musicar 2018-DF. Circulação DF, GO e SP/2018 e apresentação no I Encontro Internacional de Práticas Somáticas e Dança/DF-2018.

 

Serviço

Brasília

Data: 17/03 – apresentação como convidadas do evento I Encontro Internacional de Práticas Somáticas e Dança, realização IFB
Hora: 16h
Local: Espaço Cena
Endereço: SCN 205 – Asa Norte
Entrada: gratuita
Lotação: público reduzido
Faixa etária: 0 a 3 anos

Ceilândia

Data: 18/03
Local: Teatro Newton Rossi SESC Ceilândia
Endereço: QNN 27 Área Especial lote B, Ceilândia Norte, Brasília – DF
Hora: 11h e 16h
Entrada: gratuita com distribuição de senhas 30 min antes no local
Duração: 30 min
Faixa etária: 0 a 3 anos
Acessibilidade: libras

Ficha técnica

Intérpretes criadoras: Julia Ferrari, Julieta Zarza, Katiane Negrão, Susana Prado.
Direção: José Regino
Direção musical e preparação vocal: Julia Ferrari
Música original e arranjos: Julia Ferrari e intérpretes
Coordenação de Produção: Janaína Mello
Orientadora em Educação do Movimento Somático: Katiane Negrão
Assessoria pedagógica: Susana Prado
Iluminação: Luciano Calmon Porto
Gestão Executiva: Pedro Caroca
Fotos: Débora Amorim e Phillipe Carvalho
Duração: espetáculo 30 minutos, “Baby jam” 30 minutos aproximadamente
Contato: 61 9 8632-1907 – Janaína Mello – Coordenadora de Produção

Anterior Inspirado no discurso e representação de Mandela
Próximo Sensation: Pela 1ª vez a turnê mundial começa no Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *