7º PANORAMA DO CINEMA SUÍÇO CONTEMPORÂNEO


Cinema suiço
De 22 de maio a 10 de junho de 2018 | Foto: Divulgação

Centro Cultural Banco do Brasil Brasília, de 22 de maio a 10 de junho de 2018. Mostra apresenta seleção de filmes suíços recentes, inéditos e premiados. Exibição de 14 longas-metragens e 8 curtas, todos produzidos a partir de 2017

Pequeno em dimensões, mas com grande diversidade, a Suíça é um país que tem investido, cada vez mais, em sua produção cinematográfica. Anualmente, dezenas de filmes chegam ao mercado, muitos deles conquistando prêmios em alguns dos principais festivais europeus. A partir do dia 22 de maio, o público brasiliense terá oportunidade de conhecer a novíssima safra de longas e curtas-metragens suíços. O Centro Cultural Banco do Brasil Brasília apresenta o 7º PANORAMA DO CINEMA SUÍÇO CONTEMPORÂNEO. Até o dia 10 de junho, serão exibidos títulos produzidos em 2017 e até mesmo em 2018.

Ao todo serão 14 longas-metragens, nos gêneros de ficção e documentário e uma seleção especial de oito curtas‐metragens, recentes e inéditos, selecionados no festival de cinema “53èmes Journées de Soleure”, que acontece entre janeiro e fevereiro na Suíça e é considerado um dos eventos mais tradicionais do país.

Na programação estão títulos que passeiam pelos três grandes grupos linguísticos que conformam a Suíça – francês, italiano e alemão –, muitos deles premiados em festivais como Zurique e Leipzig. Também demonstram o grande talento dos realizadores do país para a linguagem do documentário, como em BE’ JAM BE Esse Canto Nunca Terá Fim, assinado por Caroline Parietti e Cyprien Ponson, detentor de vários prêmios em festivais internacionais. Dentre as ficções, destaque para filmes como Diário da Minha Cabeça, dirigido pela grande e jovem diretora Ursula Meier, já premiada com o Urso de Prata (por L’enfant d’em haut), em 2012, e escolhida para presidir o Júri da Câmera de Ouro do Festival de Cannes em 2018, representando a nova geração de cineastas.

Além das exibições, a mostra promoverá um debate com o diretor Karim Sayad, do documentário “Sobre Ovelhas e Homens”, vencedor do Prêmio do Júri do 53º Solothurner Filmtage. Realizado no início de maio em São Paulo, o Panorama acontece também no Centro Cultural do Banco do Brasil do Rio de Janeiro, de 30 de maio a 18 de junho. Quem assina a curadoria da mostra é Célia Gambini.

PROGRAMAÇÃO

22/05 – Terça

17h – Eu Não Tenho Idade (Para Te Amar) I (93’, 2017, Bluray) / Livre
19h – A Fúria de Ver (84’, 2017, Bluray) / 16 anos

23/05 – Quarta

17h – Be’Jam Be Esse Canto Nunca Terá Fim (85’, 2017, Bluray) / 10 anos
19h – O Som da Voz (82’, 2017, Bluray) / Livre

24/05 – Quinta

17h – Programa Curtas 01 (69’, Bluray) / 12 anos
19h – Hafis & Mara (88’, 2018, Bluray) / 12 anos

25/05 – Sexta

17h – Eu Sou a Gratificação. Confissões de um Canalha (99’, 2017, Bluray) / 12 anos
19h – Animais (95’, 2017, Bluray) / 14 anos

26/05 – Sábado

17h – Amarrados (106’, 2017, Bluray) / 10 anos
19h – Bem-Vindo à Suíça (83’ 2017, Bluray) / 12 anos

27/05 – Domingo

17h – Diário da Minha Cabeça (70’, 2017, Bluray) / 14 anos
19h – Golias (85’, 2017, Bluray) / 14 anos

29/05 – Terça

17h – A Fúria de Ver (84’, 2017, Bluray) / 16 anos
19h – Sobre Ovelhas e Homens (78’, 2017, Bluray) / 14 anos
20h30 – Sessão seguida de Debate

30/05 – Quarta

17h – Televisões (52’, 2018, Bluray) / 12 anos
19h – Depois da Guerra (92’, 2017, Bluray) / 14 anos

31/05 – Quinta

17h – Programa Curtas 02 (67’, Bluray) / 14 anos
19h – Eu Não Tenho Idade (Para Te Amar) I (93’, 2017, Bluray) / Livre

01/06 – Sexta

17h – Programa Curtas 01 (69’, Bluray) / 12 anos
19h – Eu Sou a Gratificação. Confissões de um Canalha (99’, 2017, Bluray) / 12 anos

02/06 – Sábado

17h – Hafis & Mara (88’, 2018, Bluray) / 12 anos
19h – Diário da Minha Cabeça (70’, 2017, Bluray) / 14 anos

03/06 – Domingo

17h – Animais (95’, 2017, Bluray) / 14 anos
19h – Be’Jam Be Esse Canto Nunca Terá Fim (85’, 2017, Bluray) / 10 anos

05/06 – Terça

17h – Golias (85’, 2017, Bluray) / 14 anos
19h – Sobre Ovelhas e Homens (78’, 2017, Bluray) / 14 anos

06/06 – Quarta

15h – Bem-Vindo à Suíça (83’ 2017, Bluray) / 12 anos

07/06 – Quinta

17h – Depois da Guerra (92’, 2017, Bluray) / 14 anos
19h – Televisões (52’, 2018, Bluray) / 12 anos

08/06 – Sexta

17h – Be’Jam Be Esse Canto Nunca Terá Fim (85’, 2017, Bluray) / 10 anos
19h – Amarrados (106’, 2017, Bluray) / 10 anos

09/06 – Sábado

17h – Programa Curtas 02 (67’, Bluray) / 14 anos
19h – A Fúria de Ver (84’, 2017, Bluray) / 16 anos

10/06 – Domingo

17h – O Som da Voz (82’, 2017, Bluray) / Livre
19h – Diário da Minha Cabeça (70’, 2017, Bluray) / 14 anos

Sinopses

LONGAS-METRAGENS

A FÚRIA DE VER (La Fureur de Voir), Documentário, Suíça, 2017 | 84 min. |16 anos

Direção: Manuel von Stürler

Sinopse: Diante da ameaça de ficar cego, o diretor Manuel von Stürler se lançou em uma busca para descobrir o que a percepção visual significa. Sua ânsia por enxergar alimenta uma jornada que nos mergulha no mundo da visão e tenta responder à pergunta: o que significa ver?

Manuel Von Stürler – Nasceu em Lausanne, Suíça, em 1968. Como músico, apresentou-se tocando jazz, músicas clássica e contemporânea e também compôs partituras para performances teatrais. Estreou na direção em 2012 com o longa-metragem documental Nômades do Inverno.

AMARRADOS (Encordés), Documentário, Suíça, 2017 | 106 min. |10 anos

Direção: Frédéric Favre

Sinopse: Por um ano e meio, o cineasta Frédéric Favre acompanha três alpinistas de esqui enquanto se preparam para a Patrulha dos Glaciares, uma corrida incrivelmente difícil pelos Alpes suíços. Florence quer participar em memória do pai, mas ela não está acostumada a trabalhar em equipe. Guillaume é um competidor talentoso que luta para encontrar um equilíbrio entre a família, o trabalho e a paixão pelas montanhas. Antoine acabou de sair da reabilitação e está ansioso para provar o seu valor ao mundo. Uma jornada crua e íntima pelas motivações mais profundas dos protagonistas e a história de como essa aventura os transforma.

Frédéric Favre – Nasceu em Sion, Suíça, em 1976. Estudou literatura, filosofia e cinema. Por sete anos, foi assistente de direção, tendo trabalhado principalmente com o cineasta Daniel Schweizer. Desde 2011, é diretor de cinema independente. Sua filmografia inclui ainda Cyclic (2015), Antigo para Sempre | Dernière Minute (2013), A Small Step for Men (2012) e Making of Dirty Paradise (2011).

Amarrados recebeu Menção Honrosa no Mountainfilm International Filmfestival Graz 2017 (Áustria).

ANIMAIS (Tiere), Ficção, Suíça, Áustria, Polônia, 2017 | 95 min. |14 anos

Direção: Greg Zglinski

Sinopse: Um acidente com uma ovelha em uma estrada do interior inicia uma série de experiências estranhas e perturbadoras para Anna e Nick, deixando-os incertos sobre onde estão exatamente: no mundo real, em suas próprias imaginações ou nos devaneios de outra pessoa.

GREG ZGLINSKI – Nasceu em Varsóvia em 1968. Estudou direção de cinema na Academia Nacional para Cinema, Televisão e Teatro em Lodz, na Polônia. Trabalhou como compositor para diversas bandas de rock e dirigiu episódios de séries para a TV polonesa. É diretor dos longas-metragens One Long Winter without Fire (2004), Courage (2011) e Anna’s Time (2016).

Animais recebeu Menção Especial no Festival de Zurique 2017 (Suíça).

BE’ JAM BE Esse Canto Nunca Terá Fim (BE’ JAM BE et Cela n’Aura pas de Fin), Documentário, França, Suíça, 2017 | 85 min. |10 anos

Direção: Caroline Parietti, Cyprien Ponson

Sinopse: Em Sarawak, na ilha de Bornéu (mais precisamente na parte que pertence à Malásia), o povo Penan enfrenta as mudanças causadas pela crescente ameaça de desmatamento. A obra, carregada pela música daqueles que se recusam a ceder, desenha as linhas da resistência de cada um que participa dessa luta mortal.

Caroline Parietti – Nasceu em Porrentruy, Suíça, em 1985. Estudou serviço social e estreou na direção com o longa-metragem BE’ JAM BE Esse Canto Nunca Terá Fim, feito em parceria com Cyprien Ponson.

Cyprien Ponson – Nasceu em Annonay, França, em 1987. Tem mestrado em produção documental pela Universidade de Poitiers. Estreou na direção com o longa-metragem BE’ JAM BE Esse Canto Nunca Terá Fim, feito em parceria com Caroline Parietti.

BE’ JAM BE et Cela n’Aura pas de Fin recebeu o Grande Prêmio do Green Image Film Festival 2018; o Prêmio de Melhor Longa no Corsica Doc (França); o Best Pacific Full-length Film no Festival international du Cinéma des Peuples Ânûû-rû Âboro (Nova Caledônia) e o Prêmio Buyens-Chagoll no festival Visions du Réel (Suíça).

BEM-VINDO À SUÍÇA (Willkommen in der Schweiz), Documentário, Suíça, 2017 | 83 min. |12 anos

Direção: Sabine Gisiger

Sinopse: No verão de 2015, um milhão de pessoas procuram por asilo na Europa e 40 mil delas conseguem chegar à Suíça. O prefeito da cidade mais rica da região da Argóvia pretende dar o exemplo e recusa a entrada de qualquer refugiado em seu município. Johanna Gündel, estudante e filha de um agricultor local, passa a lutar contra essa política ao lado de outros moradores. Tomando como ponto de partida os eventos em Oberwil-Lieli, o filme conta a história da Suíça nos tempos da crise de refugiados, mostrando o que o país era, quer ser ou poderia se tornar.

Sabine Gisiger – Nasceu na Suíça em 1959. Estudou história em Zurique e trabalhou como repórter dentro e fora de seu país por muitos anos. Dirigiu diversos documentários, como Do It (2000), em parceria com Marcel Zwingli, Gambit (2005), vencedor da Semana da Crítica do Festival de Locarno, Guru – Bhagwan, His Secretary & His Bodygard (2010) e A Cura de Yalom (2014).

DEPOIS DA GUERRA (Dopo la Guerra), Ficção, França, Itália, Suíça, 2017 | 92 min. |14 anos

Direção: Annarita Zambrano

Sinopse: ​Bolonha, 2002. Os protestos contra a lei trabalhista italiana explodem nas universidades. O assassinato de um juiz reabre velhas feridas políticas entre a Itália e a França. Marco é um ex-ativista de esquerda que, graças à doutrina de Mitterrand, encontrou asilo na França 20 anos atrás. Condenado na época por assassinato, ele é hoje o principal suspeito de ordenar o ataque. O governo italiano exige sua extradição, o que o força a fugir com Viola, sua filha de 16 anos. Sua vida vai mudar para sempre, assim como o destino de sua família na Itália, que terá de pagar pelas falhas do passado de Marco.

Annarita Zambrano – Nasceu em Roma, Itália, em 1972. É diretora de curtas-metragens como À la Lune Montante (2009), Tre Ore (2010) e Ophelia (2013), exibido no Festival de Cannes. Em 2014, assinou a direção do média L’anima del Gattopardo. Depois da Guerra é seu primeiro longa.

Depois da Guerra recebeu Menção Especial no Art Film Festival 2017 (França)

DIÁRIO DA MINHA CABEÇA (Journal de Ma Tête), Ficção, Suíça, 2017 | 70 min. |14 anos

Direção: Ursula Meier

Sinopse: Poucos minutos antes de atirar em seus pais a sangue-frio, Benjamin Feller (Kacey Mottet Klein), um rapaz de 18 anos, aparentemente calmo, envia pelo correio um diário em que confessa e explica o duplo assassinato para Esther Fontanel (Fanny Ardant), sua professora de literatura. A associação dessa mulher ao ato de Benjamin acontece alguns meses após ela incentivar os alunos a escreverem um diário. Esther se encontra interrogada pela lei, mas logo ela é confrontada por suas próprias dúvidas. E se o gosto dela por uma literatura assombrada pelos tormentos da alma humana a deixasse cega diante da angústia de seu pupilo e do que estava escondido por trás da prosa febril que ele a fez ler antes do crime?

Ursula Meier – Nasceu em Besançon, França, em 1971, e estudou cinema na Bélgica. Estreou na direção de longas-metragens com O Lar (2008). Seu segundo longa, Minha Irmã (2011), venceu o Urso de Prata especial no Festival de Berlim.

EU NÃO TENHO IDADE (PARA TE AMAR) (Non Ho l’Età), Documentário, Suíça, Itália, 2017 | 93 min. |Livre

Direção: Olmo Cerri

Sinopse: Carmela, don Gregorio, Gabriella e Lorella nunca se encontraram, mas têm muito em comum. Na metade da década de 1960, no auge da grande onda migratória, sozinhos ou acompanhados de suas respectivas famílias, eles deixaram a Itália e chegaram à Suíça, onde viveram por um período mais ou menos longo. Eles moraram no país durante os difíceis anos de Schwarzenbach [James, político que defendia “a Suíça para os suíços”], enquanto ouviam Gigliola Cinquetti, uma jovem cantora pop de Verona que ficou famosa após vencer o Festival de Sanremo em 1964 com a música Non Ho l’Età (Per Amarti).

Olmo Cerri – Nasceu em Sorengo, Suíça, em 1984. Após se formar em serviço social, foi estudar no Conservatório Internacional de Ciências Audiovisuais, em Lugano. É diretor de vários documentários, como Al Film dal Nicolín (2011) e Volo in Ombra (2012). Desde 2013, dirige o programa de televisão Patti Chiari.

EU SOU A GENTRIFICAÇÃO. CONFISSÕES DE UM CANALHA (Die Gentrifizierung Bin Ich. Beichte Eines Finsterlings), Documentário, Suíça, 2017 | 99 min. |12 anos

Direção: Thomas Haemmerli

Sinopse: Um ensaio bem-humorado e pessoal que trata de arquitetura, habitação, espaço, densidade, gentrificação e desenvolvimento urbano. A narrativa abrange os diferentes lugares nos quais o diretor viveu, começando por sua infância em um bairro rico, passando por ocupações, apartamentos compartilhados, além da vivência em cidades como Tbilisi (Geórgia), São Paulo (Brasil), Zurique (Suíça) e Cidade do México (México). Tudo aqui é ridicularizado: os populistas de direita que têm medo de perder espaço para os imigrantes e a esquerda que abandonou a modernidade.

Thomas Haemmerli – Nasceu em Zurique, Suíça, em 1964. Estudou jurisprudência e filosofia e trabalhou como jornalista especializado em sátiras e colunas, além de ter sido correspondente em Paris. É diretor de filmes Seven Dumpsters and a Corpse (2007) e Eu Sou a Gentrificação. Confissões de um Canalha.

O filme recebeu o Prêmio de Menção Especial no Festival de Cinema de Zurique 2017.

GOLIAS (Goliath), Ficção, Suíça, 2017 | 85 min. |14 anos

Direção: Dominik Locher

Sinopse: Quando Jessy conta a David que está grávida, ele entra em pânico. Poucos dias depois, os dois são agredidos no trem e, quando David percebe que é incapaz de proteger a namorada, sua insegurança e seus temores masculinos vêm à tona. Ele recorre, então, aos esteroides e começa a treinar de forma excessiva e intensa. Inicialmente, seus músculos lhe dão autoconfiança. Em pouco tempo, no entanto, David passa a se comportar de forma imprevisível e torna-se uma ameaça à Jessy e ao bebê que ainda vai nascer.

Dominik Locher – Nasceu na Suíça em 1982. Estudou direção teatral na Universidade de Artes de Zurique e direção de cinema no American Film Institute, em Los Angeles. Em 2013, dirigiu seu primeiro longa-metragem, Tempo Girl. Golias é o segundo longa de Locher.

HAFIS & MARA (Hafis & Mara), Documentário, Suíça, 2018 | 88 min. |12 anos

Direção: Mano Khalil

Sinopse: O filme conta a história dos últimos anos de um casal: o artista suíço-libanês Hafis Bertschinger e Mara, sua fiel esposa e patrona. Ele é um viajante incansável que cruza fronteiras entre diferentes mundos e culturas e que, mesmo na velhice, ainda cria apaixonadamente. Hafis adora experimentar e ser desafiado em suas pinturas e desenhos, nos relacionamentos, no dia a dia. No entanto, sua dedicação incondicional à arte e seu caráter impulsivo também causaram muita dor. A obra foca não só o artista, mas a tranquila Mara, refúgio seguro de Hafis e quem tornou seus voos artísticos possíveis.

Mano Khalil – Nasceu no Curdistão sírio em 1964. No início dos anos 1980, estudou história e direito na Universidade de Damasco, na Síria. De 1987 a 1994, cursou direção de cinema na antiga Tchecoslováquia. Em seguida, estabeleceu-se como diretor independente, trabalhando para as televisões da República Tcheca e da Eslováquia. Mora na Suíça desde 1996, onde dirige e produz filmes independentes.

O SOM DA VOZ (Der Klang der Stimme), Documentário, Suíça, 2017 | 82 min. |Livre

Direção: Bernard Weber

Sinopse: Quatro pessoas que testam as inúmeras possibilidades da voz humana. Andreas experimenta sua voz para desenvolver novos sons que o transformam. Regula está trabalhando duro para alcançar um efeito surround natural de 360 graus. Matthias tenta entender os segredos da voz a partir de sofisticados métodos científicos. Por fim, as técnicas de Miriam inspiram as pessoas a descobrirem suas próprias vozes.

Bernard Weber – Nasceu em Genebra, Suíça, em 1963. Trabalhou como assistente técnico de câmera no filme A Fraternidade É Vermelha (1994), de Krzysztof Kieslowski. É diretor de filmes como o curta Pampa (1998), premiado no Festival de Locarno, e do longa No Business like Show Business, de 2012.

O Som da Voz recebeu o Prêmio do Público no 53º Solothurner Filmtage em 2018.

SOBRE OVELHAS E HOMENS (Des Moutons et des Hommes), Documentário, Suíça, França, Qatar, 2017 | 78 min. |14 anos

Direção: Karim Sayad

Sinopse: Habib, de 16 anos, sonha em treinar sua ovelha premiada para que ela se torne uma campeã de briga entre animais de sua espécie. Samir, um homem de meia-idade, quer apenas vender o máximo de ovelhas antes que o Eid —celebração que marca o fim do Ramadã— termine. Um retrato de dois homens em uma conturbada comunidade da Argélia.

Karim Sayad – Nasceu em Lausanne, Suíça, em 1984. Depois de estudar relações internacionais em Genebra, tornou-se diretor de documentários. Dirigiu o curta Babor Casanova (2015). Sobre Ovelhas e Homens é seu primeiro longa-metragem.

Sobre Ovelhas e Homens recebeu o Prêmio do Júri no 53º Solothurner Filmtage 2018.

TELEVISÕES (Televisionen), Documentário, Suíça, 2018 | 52 min. |12 anos

Direção: Fabian Kaiser, Luca Ribler

Sinopse: A televisão suíça fez suas primeiras transmissões para os lares do país em 1º de janeiro de 1958. Essas imagens em movimento moldaram a forma como nos vemos e a maneira como enxergamos nossos semelhantes. Imagens de estranhos, parasitas, trabalhadores e heróis. De criminosos e vítimas de guerra. Em cada episódio, “Televisões” analisa diferentes estereótipos. Capítulo um: estrangeiros.

Fabian Kaiser – Nasceu em 1986 e cresceu no leste da Suíça. Trabalhou como designer de mídias digitais por algum tempo e se formou em cinema pela Universidade de Artes de Zurique em 2016. No mesmo ano, abriu a Drehtag, sua companhia produtora.

Luca Ribler – Nasceu em Arbon, Suíça, em 1989. Estudou cinema na Universidade de Artes de Zurique. Dirigiu alguns curtas-metragens, como Ey Alter (2011) e Total Youth (2016). Também assinou a direção de um segmento do longa Periferia (2016).

CURTAS-METRAGENS

A BATALHA DE SÃO ROMANO (La Bataille de San Romano), Animação, Suíça, 2017 | 2 min. |Livre

Direção: Georges Schwizgebel

Sinopse: O curta exibe um movimento dentro de uma pintura, que começa com a selvageria de uma batalha e termina com uma rendição em uma versão de uma obra-prima do século 15 feita pelo pintor Paolo Uccello.

AO LARGO (Au Large), Ficção, Suíça, 2018 | 25 min. |14 anos

Direção: Natalia Ducrey

Sinopse: É verão. Juliette, de 20 anos, e Lisa, sua melhor amiga, vivem em uma ilhota ao largo da costa da França. Elas sempre moraram lá. Duas garotas, em busca de um pouco de liberdade, entre as noites arejadas no único bar local, os rapazes da ilha e os turistas.

CASA SON DUNO (Casa Son Duno), Documentário, Suíça, 2017 | 12 min. |Livre

Direção: Vanessa Rüegger

Sinopse: O abrigo de uma pequena aldeia suíça não é mais usado. Durante décadas, crianças e adultos das redondezas — incluindo pessoas da comunidade Yeniche — eram forçadas a ficar ali, muitas vezes contra vontade. O filme observa os vestígios de um passado silenciado.

ENCONTRO ÀS CEGAS (Einfach So), Ficção, país, 1998 | 13 min. |12 anos

Direção: Christoph Schaub

Sinopse: Com direção de Christoph Schaub, homenageado no 53º Solothurner Filmtage, o curta retrata a história de Angela, que planeja um encontro às cegas. Ela chega cedo ao restaurante para ver o estranho antes que ele a veja. Por garantia, leva seu fiel companheiro, o cachorro Zacki.

ENTRE TERRAS (Between Lands), Documentário, Suíça, 2017 | 10 min. |Livre

Direção: Lore Rinsoz |

Sinopse: Duas meninas brincam em uma paisagem deserta do norte da Grécia e, curiosas, exploram a natureza. Elas tiveram de fugir, chegando ao país. Será esse seu novo lar? Elas terão de voltar ou ir para algum outro lugar?

NO RITMO (In Takt), Ficção, Suíça, 2017 | 15 min. |12 anos

Direção: Johannes Bachmann

Sinopse: Bruno tem um cotidiano monótono como operário, mas, quando seu filho aparece para trabalhar na mesma fábrica, sua vida sai dos trilhos. Bruno opera uma máquina que repete a mesma sequência a cada quatro segundos. Seu dia a dia enfadonho muda repentinamente quando seu filho aparece.

PARZIVAL (Parzival), Documentário, Suíça, 2017 | 26 min. |Livre

Direção: Christian Laubacher

Sinopse: O artista Parzival não é utópico, mas visionário. Desde os anos 1970, defende a paz mundial, proclamando-se governador do mundo e vivendo livre de combustíveis fósseis e energia nuclear. Ele mora em sua “embaixada do sol”, em Sonceboz, uma pequena aldeia suíça.

REBOBINAR O FUTURO (Rewind Forward), Documentário, Suíça, 2017 | 24 min. |Livre

Direção: Justin Stoneham |

Sinopse: Justin sempre conseguiu escapar de sua própria história. No entanto, seu passado o encontra quando ele descobre gravações do pai em fitas VHS e vê sua mãe como nunca tinha visto antes — jovem e saudável.

Serviço

Data: 22 de maio a 10 de junho de 2018
Local: Cinema do CCBB Brasília
Horários: ver programação
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia entrada)
Informações: (61) 3108.7600

Anterior Arraiá do Previ movimenta a Asa Sul nos dias 2 e 3 de junho
Próximo Tuyo faz apresentação ao lado de Raquel Reis e Augusta